Descoberta de fóssil de dinossauro paralisa obras de duplicação de rodovia na região de Marília

Paleontólogos acreditam que o fóssil seja um fêmur de uma espécie do período Cretáceo, fase final da Era dos Dinossauros.

Pedra onde está o fóssil será retirada nesta segunda-feira na rodovia entre Marília e Júlio Mesquita — Foto: Fernanda Marion / TV TEM

MARÍLIA-SP — A descoberta de um fóssil paralisou por dois meses as obras de duplicação da Rodovia Leonor Mendes de Barros, entre as cidades de Marília e Júlio Mesquita, a aproximadamente 370 quilômetros de São Paulo.

O fóssil, que os paleontólogos acreditam ser um fêmur, com cerca de 1 metro e meio, seria de uma espécie do período Cretáceo, conhecido como período final da “Era dos Dinossauros”, ocorrido há pelo menos 65 milhões de anos.

Obras foram paralisadas no trecho para retirada do fóssil encontrado na região de Marília — Foto: Fernanda Marion/ TV TEM

O fóssil foi encontrado a 20 metros da superfície e a poucos centímetros da lateral de um talude. Após a descoberta, a obra precisou ser paralisada por dois meses para que uma equipe de paleontólogos fizesse a extração, que deve ser concluída nesta segunda-feira, dia 26 de julho de 2021.

A descoberta não foi divulgada antes para não atrair a presença de curiosos, que poderiam danificar o material.

Em um cuidadoso processo de escavação, que começou com talhadeira e martelo, os paleontólogos retiraram a formação rochosa no entorno do fragmento até que fosse possível usar uma ferramenta de perfuração de impacto mínimo, para evitar qualquer trinca que prejudicasse a peça.

Envolvido em uma dura camada de arenito – rocha formada por areia aglutinada e cimento natural, densa como quartzo – o exemplar, ainda nessa forma bruta, vai para o Museu de Paleontologia, onde será limpo, em um processo que levará mais algum tempo.

Extração da pedra que envolve o fóssil será concluída nesta segunda-feira na região de Marília — Foto: Fernanda Marion/ TV TEM

Outras Notícias

Mais acessadas da seamana