Crianças de creche onde telhado desabou em Agudos são remanejadas para outro prédio

A partir desta sexta-feira (20) as crianças serão atendidas em outras unidades escolares da prefeitura. Investigações sobre as causas do desabamento continuam, segundo a polícia.

AGUDOS, SP – A Secretaria de Educação da Prefeitura de Agudos (SP) fez, nesta quinta-feira (19), o remanejamento das crianças que eram atendidas na Creche Berçário Diomira Paschoal que sofreu o desabamento do teto do refeitório, na quarta-feira (18).

A partir de sexta-feira (20) as crianças serão atendidas em outras unidades escolares da Prefeitura (veja lista abaixo).

O acidente aconteceu por volta das 8h e deixou 20 feridos, sendo 16 deles crianças que estavam no refeitório na hora do desabamento. Os quatro adultos feridos eram três professores e uma funcionária da escola.

Dos feridos levados para a UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) de Agudos e para um hospital particular de Bauru, 18 já receberam alta e dois adultos seguem internados no hospital de Bauru para tratamento de fraturas. O estado de saúde deles é estável, segundo o hospital.

A Polícia Civil abriu um inquérito de lesão corporal e vai investigar o caso. Além da Polícia Científica, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (ITP) fez uma avaliação das condições do prédio nesta quinta-feira.

Segundo o pesquisador do IPT, Sérgio Brazolin, a conclusão dos laudos sobre o que teria causado o desabamento dependem de documentos cedidos pela prefeitura, portanto, ainda não há prazo para a divulgação destes.

Após o acidente, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros estiveram no local retirando os escombros, que foram levados para um local de armazenamento de materiais recicláveis, e fazendo o isolamento da área. Até o momento, a rua lateral da escola permanece interditada.

Confira as unidades que receberão os 121 alunos da creche:

  • 52 serão encaminhados para a Creche Escola Neusa Milaré, localizada na rua 15 de novembro, 1418;
  • 29 vão para a Creche Escola Maria de Nazaré, que fica na rua Capitão Francisco Avato, 540, no bairro Santa Cecilia;
  • 20 irão para a EMEI Professora Pilar Padilha, na Praça João Foganholi, 571, no bairro Professor Simões;
  • 20 irão para o Centro de Educação Infantil Lar da Criança, na rua 15 de novembro, 137.

Caso se arrasta desde 2017

A prefeitura informou que, em janeiro do ano passado, a escola foi interditada por causa de estragos causados pela chuva. O prédio foi interditado ainda em janeiro de 2017 e entregue reformado em julho.

Mas a escola infantil seguia com problemas no telhado, segundo reclamação dos pais das crianças, que questionaram a obra e garantem ter avisado a prefeitura sobre os riscos.

A vereadora Rosamaria Ribas (SD), autora do requerimento que pedia três laudos técnicos (Defesa Civil, segurança do trabalho e engenheiro) sobre o telhado da creche, diz que visitou a obra e percebeu os problemas. O prazo para a prefeitura responder ao requerimento venceu um dia antes do desabamento.

O prefeito Altair Silva, além de negar o recebimento do requerimento, disse desconhecer a denúncia de que a obra utilizou material velho e reutilizado de um outro local. Afirmou ainda que, se confirmada a denúncia, o responsável será penalizado.

Logo após a entrevista, a prefeitura de Agudos emitiu nota à imprensa informando que a Secretaria de Obras recebeu o requerimento, mas que o documento não informava seu caráter de urgência, mas que iria cumprir a exigência.

Feridos foram levados para UPA de Agudos; alguns foram transferidos para Bauru (Foto: Giuliano Tamura / TV TEM )
Rua ao lado de escola de Agudos onde telhado caiu segue interditada por risco de novo desabamento (Foto: Cristiane Paião/TV TEM)

VEJA TAMBÉM

Mais acessadas da seamana