Nintendo completa 130 anos: veja 11 curiosidades sobre jogos e empresa

A gigante desenvolvedora de games começou como uma fábrica de baralho no final do século 19 – a caminhada até Mario e Zelda foi longa.

TWITTER/REPRODUÇÃO

GAMES — A Nintendo completa, neste 23 de setembro, 130 anos de existência: a empresa foi fundada no final do século 19 por Fusajiro Yamauchi e era uma fábrica de cartões artesanais no Japão. A empresa, que começou no mundo dos jogos com um tipo de baralho tipicamente japonês chamado Hanafuda – e quase faliu nos anos 1950 –, é hoje uma das maiores desenvolvedoras de games do mercado.

Veja 11 curiosidades sobre a empresa:

  1. O herói da franquia, Mario, apareceu pela primeira vez como Jumpman: um coadjuvante no jogo do Donkey Kong.

  2. Pôster das cartas de Hamafuda fabricadas pela Nintendo : a empresa nasceu no final do século 19 como manufatura de cartas.

  3. Durante os anos 1950, a Nintendo fechou contrato com a Disney para imprimir cartas com imagens dos personagens. A parceria deu errado e a empresa japonesa quase faliu na ocasião.

  4. Nove das dez franquias de games mais vendidas da história são da Nintendo, sendo seis delas do universo Mario.

  5. A franquia Pokémon, considerada a mais rentável da história, já coleciona nada menos que 807 monstrinhos, mas o mais famoso continua sendo Pikachu.

  6. A Nintendo surpreendeu a todos lançando um nada esperado live action com os personagens da franquia, chamado Detetive Pikachu, com Ryan Reynolds dublando o meio antipático monstrinho.

  7. Peach se chamava Princess Toadstool até o game Yoshi’s Safari. A partir de então, passou a ser conhecida por esse nome.

  8. Nem sempre era Peach a princesa que aparecia nos games da franquia Mario. Em Super Mario Land, de NES, Daisy era a princesa a ser resgatada pela trupe do Mario. A personagem voltou a aparecer no universo Nintendo em jogos das franquias de esportes e party games.

  9. O nome The Legends of Zelda é uma homenagem a Zelda Fitzgerald, assumido por seu criador Shigeru Miyamoto. Um fã convicto do game foi Robbin Willians, que deu à filha o nome da protagonista do jogo.

  10. O primeiro jogo de Donkey Kong, pensado para arcade, seria estrelado por Popeye, mas a Nintendo não conseguiu licença para usar os personagens.

  11. A versão japonesa original de NES possuia um microfone e alguns inimigos do primeiro Zelda eram mortos quando o jogador gritava com o aparelho. Esse dispositivo foi removido do console vendido fora da terra do sol nascente, porém um trecho do manual do jogo que dava a dica para os jogadores gritarem com o aparelho para derrotar o inimigo não foi retirado, deixando todos bem confusos.

História
Em meados dos anos 1970, ao perceber o sucesso de companhias como Bandai e Atari, o então criador Gunpei Yokoi daria início à era digital da empresa com a fabricação de fliperamas. Então, um designer trabalhando desde 1977 na empresa foi chamado para criar um jogo que mudaria a história da empresa. O nome dele é Shigeru Miyamoto, e ele criou um videogame onde um marceneiro chamado Jumpman salvava sua namorada de um gorila. Lançado em 1981, Donkey Kong foi um sucesso; foi neste jogo que não só o famoso gorila fora apresentado, mas também o mascote da empresa, Mario

Com o lançamento do NES (Nintendo Entertainment System), a empresa emplacou diversos títulos que se tornariam clássicos da indústria, como Super Mario Bros., Metroid e A Lenda de Zelda. Em 1989, eles lançaram seu primeiro portátil, o Game Boy, que deu início à febre dos Pokémon. Embora ao longo dos anos enfrentasse diversos competidores, tais como Sega, Microsoft e Sony, a Nintendo encontrou seu lugar no mundo dos games e se acomodou.

Nintendo no Brasil
A Nintendo chegou ao mercado brasileiro por meio da parceria com as empresas nacionais Gradiente e Estrela, formando em 1993 a Playtronic Industrial. A entrada foi complicada por conta da grande presença da pirataria no país e a adaptação dos consoles às televisões brasileiras (PAL-M vs. NTSC).

No entanto, foi só no dia 9 de janeiro de 2015 que a empresa anunciou o cancelamento da distribuição de seus produtos no Brasil. A decisão foi feita devido aos altos impostos no país, mas o grupo responsável pela Nintendo no Brasil ainda deixou as portas abertas, afirmando que monitorariam a evolução do ambiente de negócios e avaliariam a melhor forma de servir os consumidores do país.

Mais acessadas da seamana