Santos e Região

Padrasto que espancou bebê em SP é indiciado por tortura


Caso ocorreu em Guarujá, no litoral de São Paulo, e teve grande repercussão. Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) investiga o caso.

G1 | Redação
Silvana lopes

GUARUJÁ-SP — Equipes da Polícia Civil fazem buscas pelo homem que aparece agredindo um menino de dois anos, no banheiro de uma casa, em Guarujá, no litoral de São Paulo. Após a divulgação do vídeo com as agressões, equipes do Conselho Tutelar encontraram tanto a mãe, quanto a criança. Ambos receberão apoio do órgão. O autor foi indiciado por crime de tortura.

As imagens, que viralizaram nas redes sociais, foram obtidas pelo G1 na quinta-feira (14). Padrasto da criança, o homem é filmado dentro da própria casa, no bairro Morrinhos, agredindo brutalmente a criança, que chora a todo momento.

Após a repercussão das imagens, segundo o Conselho Tutelar da cidade, a mãe e o menino foram localizados na casa de familiares, no bairro Santa Rosa. Ela compareceu à unidade e, também, na Delegacia Sede do município, onde prestou depoimento.

O G1 apurou que ela confirmou ter conhecimento da existência das imagens. O vídeo teria sido registrado há cerca de dois meses, na casa do ex-companheiro, um motoboy, no bairro Morrinhos. Durante o depoimento, ela não soube explicar quem teria divulgado as imagens nas redes sociais, e também confessou não tê-lo denunciado antes porque era ameaçada constantemente.

Um boletim de ocorrência foi registrado e, após ser ouvida, a mulher foi liberada. Agora, equipes do Conselho Tutelar da cidade presarão apoio para ela e para a criança, com acompanhamento psicológico. O caso continuará a ser investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da cidade.

Segundo apurado pelo G1, a Polícia Civil faz buscas na intenção de localizar o suspeito, que já foi identificado. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que o agressor foi indiciado pelo crime de tortura e diligências estão em andamento para localizar e prender o autor. Até a manhã desta sexta-feira, porém, ele não havia sido encontrado.

Mãe de menino foi ouvida na Delegacia Sede de Guarujá, SP — Foto: Guilherme Lúcio / G1

AGRESSÕES — O vídeo passou a repercutir nas redes sociais e em aplicativos de mensagens na quarta-feira (13). A criança aparece sendo agredida no box do chuveiro, no banheiro de uma residência. Ela recebe chineladas e, depois, é jogada no chão.

Depois, o agressor leva o menino, segurando-o pelo pescoço, para o quarto, onde o suspende e, logo depois, joga a criança na cama. Ele não se preocupa com a pessoa que o filma durante a ação, que também não intervém.

Uma pessoa próxima à família conversou com o G1 e contou que as agressões aconteciam frequentemente, e que nada era feito para que a situação fosse revertida. “Sempre brigavam por conta do ciúme do menino. Até para dormir na cama com ela era difícil, gerava confusão”, disse a testemunha, que não quis se identificar.

Comente

Veja Também