Câmara de Tarumã abre CEI para apurar denuncia de pedofilia contra vereador

A Comissão Especial de Inquérito foi constituída nesta noite de quarta-feira, dia 16 de setembro.

Câmara de Tarumã abre CEI para apurar denuncia de pedofilia contra vereador — Foto: Reprodução

Câmara de Tarumã abre CEI para apurar denuncia de pedofilia contra vereador — Foto: Reprodução

TARUMÃ-SP — Na sessão ordinária, atípica, dessa quarta-feira, dia 16 de setembro, na Câmara Municipal de Tarumã, foi instaurada uma CEI — Comissão Especial de Inquérito para apurar suposta infração político administrativa de um vereador, sob a justificativa de que tal medida se faz necessária, tendo em vista o recebimento de um ofício enviado pelo delegado  de Polícia Civil, Mateus Orlandi Buchaim, recebida em 1º de setembro pela secretaria da câmara, o qual traz preocupação ao Legislativo.

O que acontece é que foi lavrado um boletim de ocorrência sobre suposto comportamento inadequado do vereador em questão, na madrugada do dia 14 de junho de 2020, quando ele teria pedido para que um adolescente, de 12 anos de idade, lhe enviasse fotos de partes íntimas, pelo aplicativo Messenger.

Atendendo os ditames regimentais, a comissão que foi instituída nesta quarta-feira para investigar o vereador acusado é composta por três vereadores, escolhidos através de sorteio. O prazo para funcionamento da CEI será de 90 dias, a contar da sua instauração.

O caso tornou-se de polícia quando o adolescente teria sido abordado na internet pelo vereador e achado por bem comunicar o pai sobre o contato. Este, segundo boletim de ocorrência, passou a responder as mensagens como se fosse o adolescente, mantendo a conversa com o vereador, que teria pedido fotos, primeiro do rosto, depois do “tanquinho” — barriga, pernas, costas, e, por ultimo, do “bumbum”.

Para conseguir provas do assédio sexual, o pai do menor teria enviado ao vereador imagens do rosto, barriga e pernas do filho. Ainda segundo o BO, tão logo as recebia, o denunciado as apagava. Porém, o adulto conseguiu salvar algumas conversas, dando prints, que serão entregues à polícia para anexar ao inquérito.

O pai do menos procurou a delegacia de Polícia Civil e foi registrado boletim de ocorrência pelo delegado Mario Mirando da Silva. Uma cópia foi enviada à Câmara Municipal de Tarumã.

No início de agosto, o averiguado pediu afastamento do cargo, com atestado médico indicando depressão, e continua em tratamento.

CEI
Logo no início da sessão dessa quarta-feira, houve o sorteio para a formação dos membros que irão compor a Comissão Especial de Inquérito.

Foram sorteados três vereadores para investigar o colega alvo da denúncia. Os integrantes da CEI são Aparecido Siqueira — presidente, José Roberto de Almeida — relator, e Everson Luís de Camargo — membro.

No caso concreto da acusação feita pelo genitor do menor, serão aplicadas as medidas regimentares cabíveis. Vale frisar que o caso é ainda investigado, tanto no âmbito policial, quanto administrativo.

Para não expor o vereador, por uma questão de ética e de respeito às leis; e ainda, por ele estar afastado, em tratamento médico, a reportagem não o ouviu, mas deixa o espaço aberto caso ele, ou o advogado dele, queiram falar sobre o assunto.

*Abordagem Notícias

VEJA TAMBÉM

Outras Notícias

Mais acessadas da seamana