Operação com 60 policiais visa prender quadrilha do ‘golpe do bilhete premiado’

Mandados são cumpridos em cidades do Paraná e Minas Gerais; quadrilha atuava no interior de SP — Foto: Polícia Civil | Divulgação

ASSIS-SP — Um forte aparato de Segurança Pública, contando com cerca de 60 policiais civis, entre delegados e investigadores, pretendia cumprir uma dezena de mandados de prisão nesta segunda-feira, dia 1º de março, em várias cidades. A quadrilha é apontada como responsável por aplicar o golpe conhecido como do ‘bilhete premiado’.

No período de setembro de 2019 a fevereiro de 2021, segundo a Polícia Civil, foram cometidos 13 crimes em Assis e um na vizinha cidade de Cândido Mota, somando grande prejuízo às vítimas, geralmente mulheres de idade avançada.

A Central de Polícia Judiciária de Assis, através do 3º D.P., iniciou as investigações em julho de 2020 para apurar os crimes de estelionato, popularmente conhecidos como ‘golpe do bilhete premiado’, após a quadrilha fazer duas vítimas em Assis num curto intervalo de 20 dias.

“Com trabalho de inteligência policial e captações de imagens (bancárias, pedágios, abordagens de vítimas), apurou-se existência de uma Associação Criminosa que cometia delitos em Assis e outras cidades do Estado de São Paulo”, explica a Polícia Civil.

Esse mesmo grupo de criminosos, segundo a polícia, teria praticado golpes semelhantes em Araçatuba (03), Bauru, Marília (03), Ourinhos (04), Santa Cruz do Rio Pardo (02) e São José do Rio Preto.

Após a fase inicial de coleta de provas, a Justiça. atendendo requerimento do delegado José Gonçalves Júnior, expediu mandado de prisão temporária contra dez integrantes da quadrilha. Também foram autorizadas 14 buscas residenciais, assim como sequestro de bens móveis e imóveis, principalmente veículos e o bloqueio do dinheiro existente nas contas bancárias dos indiciados.

No final da manhã desta segunda-feira, a Polícia Civil informou que as prisões dos membros de uma das maiores quadrilhas de estelionatários que atuavam no estado de São Paulo estariam acontecendo em Londrina-PR, onde residem os principais integrantes do bando, Ibiporã-PR, Rancho Alegre-PR e Poços de Caldas-MG.

Os 60 policiais civis envolvidos na operação contam com apoio de 15 viaturas da área do Deinter-8, além do respaldo da 10ª Subdivisão Policial de Londrina para os procedimentos de Polícia Judiciária.

VEJA TAMBÉM

Outras Notícias

Mais acessadas da seamana