Solenidade homenageia combatentes da Revolução Constitucionalista

Cesta de flores foi colocada no obelisco por representantes das forças de seguranças e convidados de honra na manhã desta sexta-feira, dia 09 de julho, em Presidente Prudente.

Solenidade homenageia combatentes da Revolução Constitucionalista — Foto: Emerson Sanchez/TV Fronteira

PREDIDENTE PRUDENTE-SP — Uma homenagem foi realizada diante do monumento do Soldado Constitucionalista, que fica localizado no Centro de Presidente Prudente, na Avenida Coronel José Soares Marcondes, entre a Praça Nove de Julho e a Praça Monsenhor Sarrion, em comemoração ao Dia da Revolução Constitucionalista, comemorado nesta sexta-feira, feriado estadual de 9 de julho.

No obelisco, monumento que homenageia os combatentes da Revolução Constitucionalista, que fica no canteiro central da Avenida Coronel José Soares Marcondes, uma cesta de flores foi colocada por representantes das forças de seguranças e convidados de honra na manhã desta sexta-feira, dia 09 de julho de 2021. Por conta das restrições decorrentes das medidas de enfrentamento à covid-19, o evento foi restrito e sem público, apenas com a presença de autoridades políticas, civis e militares, além de representantes de ex-combatentes.

Solenidade homenageia combatentes da Revolução Constitucionalista — Foto: Emerson Sanchez/TV Fronteira

Além da solenidade simbólica no monumento, totens contando um pouco da história dos combatentes da guerra paulista foram colocados na Praça Nove de Julho, ao lado da base da Polícia Militar. A amostra teve início nesta quinta-feira, dia 08 de julho e fica disponível até o dia 30 de julho.

No prédio da Prefeitura Municipal foram colocadas faixas alusivas à data, que homenageiam os soldados constitucionalistas do estado de São Paulo.

Numa delas é possível ver os jovens cujas iniciais formam o famoso acrônimo M.M.D.C, em referência à Martins, Miragaia, Drausio e Camargo. Eles foram mortos por tropas federais ligadas ao Partido Popular Paulista, um grupo político-militar do regime de Getúlio Vargas, em uma manifestação ocorrida na noite de 23 de maio de 1932.

Solenidade homenageia combatentes da Revolução Constitucionalista — Foto: Emerson Sanchez/TV Fronteira

09 DE JULHO

A Revolução Constitucionalista de 1932 foi um movimento armado, que resultou da revolta generalizada no Estado de São Paulo contra o governo de Getúlio Vargas, que assumira o poder em 1930 com um golpe de Estado, derrubando o então presidente Washington Luís e impedindo a posse de seu sucessor.

Vargas reduziu a autonomia dos Estados do país e indicava interventores para governá-los segundo seus interesses.

Com o apoio de grupos econômicos e políticos locais, o levante – que resultou no maior conflito militar do país no século 20 – teve início no dia 9 de julho de 1932, e terminou com a rendição do Exército Constitucionalista em 2 de outubro.

Seu estopim foram as mortes de quatro jovens paulistas por tropas getulistas durante uma manifestação no Centro de São Paulo, no dia 23 de maio.

Os confrontos entre constitucionalistas e tropas enviadas por Getúlio – que conseguiu articular uma resposta militar com apoio de todos os Estados, exceto o Mato Grosso -, no interior do Estado e na capital, deixaram 934 mortos, entre eles, 634 constitucionalistas.

Solenidade homenageia combatentes da Revolução Constitucionalista — Foto: Emerson Sanchez/TV Fronteira
Solenidade homenageia combatentes da Revolução Constitucionalista — Foto: Emerson Sanchez/TV Fronteira

Outras Notícias

Mais acessadas da seamana