‘Ação Entre Amigos’ sorteia carro de Irmã Domênica em agosto

A ação é para ajudar a Casa da Criança ‘Nossa Senhora das Dores’, de Cândido Mota.

‘Ação Entre Amigos’ sorteia carro de Irmã Domênica em agosto

CÂNDIDO MOTA-SP — A Casa da Criança ‘Nossa Senhora das Dores’, de Cândido Mota, realiza no dia 6 de agosto, uma ‘Ação Entre Amigos’, com sorteio de um prêmio muito especial: um VW Fusca, que pertencia a irmã Maria Domênica Morino, que faleceu no dia 22 de janeiro de 2001, vítima de um infarto fulminante.

O carro, ano 1974, de cor amarelo, era utilizado pela irmã para se locomover pela cidade, em suas ações solidárias. A ação é para ajudar a entidade filantrópica, principalmente neste período de crise, devido à pandemia da Covid-19.

Quem puder colaborar comprando um cupom para concorrer ao sorteio, que acontecerá ao vivo, às 10h30, no dia 06 de agosto, pela página do facebook da Casa da Criança Nossa Senhora das Dores, basta ligar para Valdirene, no (18) 99721 1878, Aline no (18) 99631-3836, ou Valéria no (18) 99705-9342, e adquirir seu bilhete, que custa R$10.

Irmã Maria Domênica Morino, que faleceu no dia 22 de janeiro de 2001

Irmã Domênica

Ida Morino nasceu na Itália e chegou ao Brasil ainda jovem. A religiosa ajudou a fundar a sede da Congregação no Brasil na pequena cidade de Cândido Mota. Os anos foram passando e as religiosas foram ganhando não só a admiração, mas o respeito da população.

Domênica cuidou com afinco das meninas abandonadas, sendo não só apoio, mas uma verdadeira mãe. Dedicou-se aos idosos do Asilo São Vicente de Paulo, estando sempre presente e de braços estendidos para qualquer que fosse a função. Amparou os ‘coitadinhos’ que não tinham alimentação e nem moradia.
Ainda se encontram espalhadas pela cidade dezenas de casas que ajudou a construir. A irmãzinha sorridente conquistou a todos. Amou ricos e pobres. Jantou em mesas de poderosos, mas também sentou na sarjeta para comer com os seus irmãos mais queridos.

Irmã Domênica deixou sua imagem viva e presente na vila São Judas Tadeu, onde havia não somente muita pobreza, mas acima de tudo, muita falta de amor. Ajudou a construir a Capela do bairro, trabalhou na Pastoral da Criança e catequizou inúmeros jovens.
Era pequena na estatura, mas tinha um coração extremamente generoso.

A sua transferência de Cândido Mota para Diamante do Norte foi sentida por todos, mas sempre que possível, a religiosa estava presente entre os cândido-motenses. No final de 2001, após 10 anos, foi transferida para Cândido Mota.

No início de janeiro do ano seguinte, Domênica, juntamente com outras religiosas, foram participar de um retiro em São Paulo. Na manhã do dia 22 de janeiro, as religiosas foram para o encontro e Irmã Domênica ficou na Casa Geral para preparar o almoço. Não se sabe como foram os seus últimos momentos de vida, apenas que toda aquela alegria, aquela chama de amor se apagou repentinamente vitimada por um infarto fulminante. As religiosas já a encontraram sem vida e iniciaram os procedimentos para a sua transferência para Cândido Mota.

Seu corpo foi velado na Capela das Irmãs e durante todo o dia 23, centenas de fiéis compareceram para rezar diante do seu corpo e se despedir do anjo que passou irradiando alegria pela terra.

A freira, embora gostasse de flores, manifestou em vida o desejo de que ‘as flores do seu velório se transformassem em alimentos para os pobres’. O seu desejo foi atendido e seu velório estava totalmente ornamentado com cestas básicas e alimentos que foram revertidos para pessoas carentes do município.

Outras Notícias

Mais acessadas da seamana